Editais e noticias

Prazo prolongado até o dia 20 de fevereiro para apresentar projetos na área dos direitos humanos

09/02/2015 20:59
9 de Fevereiro de 2015 Por meio deste comunicado, a embaixada do Reino dos Países Baixos solicita a sua atenção para o novo prazo de entrega para apresentar propostas na área dos direitos humanos. O prazo foi...

Instituto Sabin seleciona novos parceiros

09/02/2015 20:56
  9 de fevereiro de 2015   O Instituto Sabin está com edital aberto para selecionar instituições que desenvolvam projetos e produtos inovadores na área socioambiental. Com essa iniciativa, o...

Estão abertas as inscrições para o Selo Social 2015

08/02/2015 01:39
As inscrições para a nova edição do Selo Social já estão abertas. As empresas, órgãos públicos e organizações não governamentais que desenvolvem projetos sociais em prol dos Objetivos de Desenvolvimento...

FONTES DE FINANCIAMENTO PARA PROJETOS

28/01/2015 23:03
Editais - prazos entre parênteses: ·  ONU Mulheres (29 de janeiro) ·  Fundo de Conservação Crowder-Messersmith (01 de fevereiro) ·  Projeto Legado 2015 (01 de fevereiro) · ...

BNDES lança Edital do Prêmio de Boas Práticas em Economia Solidária

28/01/2015 23:01
O Prêmio BNDES de Boas Práticas em Economia Solidária pretende reconhecer e divulgar as iniciativas consideradas "boas práticas" de Empreendimentos Econômicos Solidários (EES) e suas Redes. A inciativa é...

Editora FTD abre edital na área da educação

16/12/2014 16:10
        Editora FTD abre edital na área da educação 15 de dezembro de 2014   Mais uma oportunidade para profissionais que atuam com projetos voltados à promoção da leitura. A FTD acaba...

FONTES DE FINANCIAMENTO PARA PROJETOS

30/11/2014 21:46
FONTES DE FINANCIAMENTO PARA PROJETOS  - prazos entre parênteses: ·    SeaWorld & Busch Garden Conservation Fund (01 de dezembro) ·    Fundação Waterloo 1 (01...

Edição 2014 da Fundação para Conservação, Alimentação e Saúde recebe propostas

30/11/2014 21:43
A organização americana Conservation, Food and Health Foundation (Fundação para Conservação, Alimentação e Saúde) está com edital de 2014 aberto, recebendo projetos para a promoção da conservação de...
<< 3 | 4 | 5 | 6 | 7 >>

O Censo GIFE, realizado a cada dois anos, é atualmente o principal mapeamento dos maiores investidores sociais privados do Brasil.

Neste Censo 2009-2010, realizado pelo GIFE e Itaú Cultural, além do panorama geral da Rede GIFE, foram aprofundadas questões relacionadas ao investimento social em Cultura, uma das principais áreas de atuação dos Associados GIFE.

Com patrocínio do Oi Futuro, Fundação Vale e Petrobras, o estudo contou com parceria técnica do Ibope Inteligência e do Instituto Paulo Montenegro.

Para acessar a cobertura do debate e as fotos do evento de lançamento que ocorreu em 24 de novembro, acesse: https://site.gife.org.br/artigos_reportagens_conteudo13997.asp

Censo GIFE (baixa).pdf

Serviço: 

Autor:GIFE

Editora:GIFE
Edição:5ª
ISBN:1983-9103 (ISSN)

Pesquisa global aponta queda brasileira no ranking dos doadores

Em sua segunda edição, levantamento criado pela Charities Aid Foundation, o World Giving Index, apontou que o Brasil passou da 76º posição para o 85º lugar, no ranking dos países cujos habitantes doam, seja dinheiro ou tempo. O estudo é um retrato do comportamento de indivíduos (150 mil) em relação a doações em 153 países, cobrindo 95% da população global.

Com base em uma pesquisa feita pela Gallup ele mede três diferentes tipos de comportamento – doações em dinheiro para organizações sociais, tempo utilizado para trabalho voluntário e ajuda a estranhos. Segundo Márcia Woods, diretora executiva do IDIS, organização que representa a rede CAF no Brasil, apesar da aparente queda, os brasileiros apresentaram basicamente os mesmos níveis, onde um quarto da população doa dinheiro e quase a metade ofereceu ajuda a estranhos no último mês.

“O que aconteceu é que outras nações avançaram em seus comportamentos. Como no ano passado, temos a mesma visão que o Brasil precisa avançar no assunto. Disposição para contribuir, o brasileiro já demonstrou que não falta. Se nossa legislação se tornar mais favorável, teremos um incentivo a mais para a participação voluntária e doação de recursos”, afirma a diretora executiva.

No 85º lugar, o Brasil ficou com a média de 29% de respondentes solidários: percentual de contribuição financeira (26%); percentual de tempo dedicado ao voluntariado (14%) e percentual de tempo usado para ajudar desconhecidos (48%). Para efeito de comparação, os Estados Unidos ocupam o 1º lugar, com a média de 60% de pessoas solidárias – com percentuais de 65%, 43% e 73%, respectivamente.

No Mundo
Esta edição do World Giving Index mostrou também que a crise econômico-financeira global iniciada em 2008 provocou a diminuição do número de pessoas que doaram a causas e, consequentemente, do volume de recursos doados por indivíduos, mas não afetou a disposição de solidariedade para com terceiros. No último ano, cresceu a quantidade de voluntários que doaram tempo para ajudar a quem precisa.

A CAF lembra que o noticiário geralmente foca os aspectos econômicos e políticos das crises, deixando em segundo plano os impactos sobre a solidariedade e a filantropia. “O World Giving Index 2011 visa preencher essa lacuna e revelar até que ponto a turbulência financeira afetou a sociedade civil”, escreveu John Low, diretor-executivo da Charities Aid Foundation, no texto de apresentação do estudo.

Entre os respondentes, 47% disseram que ajudaram desconhecidos, 29% que fizeram doações e 21% que realizaram atividades como voluntários. Na comparação com o ano de 2010, o número de pessoas que apoiaram desconhecidos aumentou 2% (45%-47%) e dos que doaram tempo voluntariamente, 1% (20%-21%). Enquanto isso, caiu 1% o total de doadores de recursos (30%-29%).

Elas responderam a uma única pergunta, que continha três alternativas: Quais dessas ações você realizou no último mês?

Contribuição financeira para instituições filantrópicas;

Doou tempo de voluntariado para uma organização;

Ajudou um desconhecido (ou alguém que você não sabia precisar de ajuda).

De acordo com o estudo, “apesar de ser impossível estimar ao certo o número de pessoas que essas pontuações representam, podemos assumir que essa mudança significa um aumento de milhões na quantidade de indivíduos envolvidos em atitudes filantrópicas do que há apenas um ano”.
 
Fote: www.gife.org.br